O Cantinho do Bélier

"Poema Afeano"

SONETOS DE 2015

HISTÓRIA
O TIME
LINKS
CADASTRE-SE
O AUTOR
CAMPEONATOS
BAZZANI
OPINIÃO
CANTINHO DO BÉLIER

um pouco de cultura, amor e emoção onde o tema único é a querida ferroviária.


O CANTINHO DO BÉLIER

Antonio Carneiro

http://poemafeano.blog.com/

0X0 ao Guarani (Campinas)
(Apoteose final – o 500º poema!)

Apoteótica festa, e merecida,
Fez celebrar, com ânimo inaudito
Na Arena da Fonte a um só grito
Superior conquista uma torcida

Que despiu-se da indumentária urdida
Por muitos anos de revel conflito,
Humilhada e de coração contrito
Na andrajosa oficina da desdita

Para ostentar um traje engalanado
Com que reviu do orgulho já vivido
O fausto haver de um célebre passado

De cujo esplendor tornou sentido
No âmbito do feito conquistado
Que jamais dar-se-á por esquecido.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
03/05/2015

2X0 ao São Caetano
(A vã cartada do “Azulão”)


Penúltima missão do campeonato,
A Ferroviária foi, que já é dela,
A São Caetano, por cumprir tabela
E uma vez mais venceu com bom recato,

Ante um rival que com amplo aparato
Atirou-se ao ataque, pois aquela
Era a última chance, sem cautela,
De apurar-se ao acesso, “ipso facto”.

Em ambiente hostil, mas bem contida,
A AFE  entrincheirou-se em defensiva
E deu dois golpes certos da partida

Nos extremos de cada etapa viva,
Deixando ao “Azulão” pela subida
Uma gorada e vã expectativa.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
28/04/2015


Salve Ferroviária! Campeã paulista da A2 (2015)
(Em versos alexandrinos)

Sobeja em festa, de alegria extravasada,
Após longa escarmentação, anos a fio
De cuja experiência o triste tom sombrio
Cobriu de mágoas sua atroz, ínvia jornada,

O coração afeano, em dose dupla instada
Pela conquista imposta a enorme desafio
De uma vaga entre os mais de grande poderio
Perdida há tanto tempo e sempre colimada

E da competição também prêmio maior,
Vitória prematura, do final no afã
A duas voltas antes, ímpar pormenor,

Prenúncio venturoso para o amanhã
E hoje a certeza de troar em derredor:
Salve a Ferroviária, a grande campeã!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
19/04/2015

1X0 ao Guaratinguetá
(Araraquara em festa!)


Araraquara em festa, emocionante
É ver da gente a alegria instada
Na face, e a cidade engalanada
Por conta de um evento tão sonante;

Eis que sua maior representante,
Embaixatriz de feitos consagrada,
Viu hoje a sua fama resgatada
De modo tão cabal e triunfante:

Sim, a Ferroviária fez regresso
A seu lugar na elite que deixara
Paulista, há anos, e por este acesso

Orgulha-se e o proclama a voz bem clara,
Quão ansiado fora tal sucesso,
O seu torrão natal, Araraquara!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
18/04/2015

4X0 ao Grêmio Novorizontino
(Do ledo pranto à explosão de alegria! Parabéns AFE!)


Amplo sorriso, prenda inestimável
Da véspera de aniversário em cena
Ontem ofereceu, e não pequena,
Da Ferroviária, o grupo admirável;

Com emoção assaz justificável
De ledo pranto, ao torcedor na Arena
Que há tantos anos sofre infausta pena
De ver seu clube em pego deplorável,

Para valer-se em mais singelo apelo
Que flui da alma, explode de alegria
E sai do peito em grito a condizê-lo:

Ela voltou! E logo no seu dia!
Feliz doze de abril, que o pesadelo
Afaste-se de vez, que a perseguia!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia -Portugal
12/04/2015


3X1 ao Santo André
(A um passo da meta!)

 
Quando um trabalho é sério e embasado
Em alicerces firmes, não se abala
Quem o porfia, que prossegue e cala
Ante um desaire a meio assinalado;
 
Hoje se viu, que hoje foi travado
Daqui da Europa em fuso que acavala
O desafio à madrugada e fala
Por meio de outro airoso resultado:
 
Triunfo incontestável dá valência
A cem por cento de aproveitamento
De casa em jogos na total sequência,
 
A garantir que um outro alegramento
Logo a seguir nos dá por consequência
À elite o cobiçado apuramento.
 
Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
08/04/2015

1X2 ao Independente (Limeira)
(Oops…)


Oops, escorregão anunciado
De erros do jogo anterior na esteira
Ontem se deu patente de Limeira
Em campo de rival tão acanhado,

Do que este se valeu, entusiasmado,
Embalde seu vincar de má craveira
Por conseguir vitória lisonjeira
Ante um adversário desfalcado.

Também de preciosismo algo foi visto
De alguns, para exaltar a qualidade
Em proceder que deve ser revisto,

Pois é fulcral manter a humildade
Nesta reta final, onde é previsto
Não contar com qualquer facilidade.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
05/04/2015

7X1 ao Monte Azul
(Soberba, majestosa, inolvidável!)


Inusitada, em jogo a liderança,
Há largos anos, ontem novamente
Seria posta em jogo, pela frente
O Monte Azul, calçado em confiança

E colossal, foi noite de pujança,
Também inusitada, dando à gente
Que há muito não se via tão contente
Um sentimento de ampla abastança;

Porque a “locomotiva” acelerada
Esmagou o rival e, imparável,
Segue para o acesso em disparada,

A sobejar de modo insofismável
Os demais concorrentes em jornada
Soberba, majestosa, inolvidável!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
29/03/2015


1X0 à União Agrícola Barbarense
(De regresso ao topo)


Outra jornada assaz de sofrimento
Para manter o coração contrito
Do adepto afeano, sempre aflito,
Que folga não se vê a cada evento;

Este, na Arena, trouxe ao pensamento
Do mais antigo torcedor um mito:
Rosan, goleiro de alto gabarito
Que de recente teve passamento.

Por escasssez nas oportunidades
Instou-se o jogo, a meio campo havido,
De avançados com poucas liberdades

Que em lance crucial foi decidido
Por lesta ação e raras qualidades
De atletas, como as têm tanto exibido.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia - Portugal 

26/03/2015

0X1 ao Oeste (Itápolis)
(Injusto desfecho)


Foi em Itápolis o compromisso
Aqui entrado pela madrugada,
Que o fuso impõe tal hora defasada
A quem do orbe ao tempo está submisso;

A lida, entre os primeiros, e com isso
A expectativa enorme, disputada
Inda que em cancha curta e encharcada,
Em estádio de péssimo serviço.

Do jogo o que se viu contra a corrente
Foi o Oeste “achar”, que consentido
Pela zaga grená, um golo à frente

E assim lograr do mesmo convertido
Um triunfo ao final, injustamente,
Que pelo que se instou não faz sentido.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
21/03/2015

2X0 ao Velo Clube (Rio Claro)
(Grande passo – liderança mantida)


Um passo a mais foi dado, assaz ingente
Hoje na Arena, rumo à ascensão
Que há vinte anos nos compele em vão
De augurar angustiadamente

E que não foi decerto novamente
De alvitre fácil de alcançar, senão
Com sofrimento imposto ao coração
Do adepto, como sempre é pertinente:

Alguma sorte, é certo, de permeio,
Que de frequente ajuda os vencedores
Por nos valer também em doses veio;

Destarte a conservar as nossas cores
No topo das tabelas do torneio
Em todos os registos marcadores.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
14/03/2015


3X2 ao Rio Branco (Americana) 
AVE, Alan! 

  
Com emoções intensas disputado 
Viu-se este novo compromisso havido 
Da AFE ante rival enrijecido 
Por grande afã de não ser derrotado; 
  
Conquanto já bem cedo conquistado 
Um ascendente a erro consentido, 
Nada ficou quão cedo decidido 
Que ao minuto final enfim jogado. 
  
De permeio valeu em dose ingente 
Do Alan Mineiro a classe insofismável 
Por colmatar da equipe algo ausente 
  
A dar-lhe um certo mote vulnerável 
E pô-la do torneio mais à frente 
Depois de uma batalha inextricável. 
  
Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
12/03/2015

3X1 ao Mirassol
(De volta ao comando)


Em Mirassol, eis que ressurge ufana
De após deslize em Batatais, provado
Ter, sido do percurso o resultado
Mero acidente nesta afã gincana

A equipe da Ferroviária em gana, 
Garbo, atitude e plano bem pensado
Hábil de organizá-la com cuidado
Por tático jaez, que a não desmana

Para vencer de modo insofismável, 
Não obstante o dito sítio alheio,
Onde o rival não é nada amigável,

Catapultando-se por este meio
À posição primeira, destacável
Dentre todos os outros no torneio.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
08/03/2015

1X0 ao Paulista (Jundiaí)
(Liderança absoluta)


Eis que em sequência da competição
Vem à Fonte a equipe do Paulista
De trajetória assaz pouco bem quista
Por seus adeptos na aludida ação:

Fixa de jogo na defesa então
Um plano de estratégia já prevista
Na busca obstinada da conquista
De um empate ao menos por missão;

Mas cedo marca um gol a Ferroviária
E cai do plano asssim o incentivo
Para intenções da turma adversária

Que parte atrás em busca do objetivo,
Porém usando a mesma indumentária
A AFE impõe triunfo lucrativo.

Antonio Carneiro (Bélier)
Lisboa – Portugal
22/02/2015


0X1 ao Batatais
(A noite em que o fantasma saiu da cova)


Era o cenário azul para o passeio
Dos grenás, no relvado, sem receio
A desfilar:

Curto o deslocamento, eis que era perto
O local da contenda e quase certo
O triunfar:

Vazio o campo, isento da torcida
E da pressão que exerce, aborrecida
Pelo andar,

Que o rival, Batatais, era o lanterna,
Depôs o treinador, em crise interna
A rastejar,

Talvez metido só no cemitério
De onde saíra um dia por critério
De assombrar

Os rivais, que por tradição persegue
Em seus pagos e muitos sustos pregue
No lugar,

Pois é da Mogiana conhecido
Como o fantasma que fica escondido
A espreitar

O momento ideal da assombração
Capaz de lhes impor covarde ação
No amedrontar,

Conquanto tal estilo atualmente
Estivesse dos usos sempre ausente
De aplicar;

Porém do jogo bem cedo ao limite
A defesa grená um gol permite
A cochilar

E passa todo o resto da partida
A AFE procurando uma saída
Para empatar,

Destarte, sempre atrás do prejuízo,
Mas com muito pouca arte e parco siso
De o lograr.

Acaba o tempo, perde a liderança,
Que o São Caetano vence com pujança
A golear.

Que de hoje em frente tenha mais cuidado,
Pois outras cercas com maior valado
Se hão de saltar,

Caso almeje atingir de fato a meta
Que há anos dos adeptos despoleta
Um vão sonhar.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
01/03/2015


2X0 ao Comercial (R.P.)
(Triunfo insofismável)


No embalo de excelente trajetória
Neste torneio que garante acesso,
Eis que a Ferroviária outro sucesso
Logrou contra rival de larga história:

Ante o Comercial, esta vitória
Marca na caminhada audaz progresso
Rumo à elite, de onde está egresso
O clube há tantos anos. Na memória

Fica gravado assaz empenhamento
Para vencer com mérito sobejo
Em sítio alheio, a sóbrio apontamento;

E a prosseguir com este agir sem pejo,
Consequente será o apuramento,
Dos afeanos mais ardente almejo.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
14/02/2015

2X1 ao Água Santa
(“Estrelinha” grená)


A Arena, visitou, de Diadema,
Da Fonte, um arrabalde paaulistano,
O Água Santa, clube não decano
Entre os demais, de estreante emblema

Neste torneio A2 de louco esquema,
Para aplicar um pouco ousado plano
Em busca do empate, um menor dano,
Do treinador sabido estratagema.

Deu certo o alvitre até quase ao final,
Mas a Justiça obrou apontamento,
Logrando a AFE um gol por certo aval

Através do Danilo Sacramento
E assim ela avançou, inda vestal
Para tomar dos líderes assento.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
12/02/2015

2X1 ao Atlético (Sorocaba)
(For the good times)


E a canção do Elvis foi lembrada,
Que lembrou os bons tempos onde encaba
Um velho sonho que hoje em Sorocaba
Instou-se em realidade tão sonhada:

Não foi brilhante a prestação mostrada,
Mas pelo que valeu de muito acaba
Por dar alento a mais e assim nos gaba
De instar à frente ao fim desta jornada.

Fazer agora é muito previdente
As tarefas de casa sem rasuras,
Já a partir de quarta feira e à frente

As outras que advirão futuras;
Porque o sonho se arrogue permanente
E não se acabe em meras conjecturas.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
08/02/2015


 

2X1 à Matonense
“Escrita” mantida (no sufoco)


Foi a primeira esta vitória, e seja,
No atual torneio suicida,
Na Arena da Fonte acontecida,
De muitas outras, tal como se almeja;

Contudo não se deu de ampla sobeja,
Pelo contrário, instou-se por sofrida
Sob pressão do rival arremetida
No sufoco final de árdua peleja.

De corrigir é necessário o rumo
E com urgência máxima: Já tarda
Obter padrão de jogo com aprumo,

Pois quem não corre cedo se retarda
Enquanto outroa avançam, em resumo
Urge cuidar do jus que nos aguarda.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
06/02/2015

0X0 ao Catanduvense
(Pouca ambição)


Foi uma estréia pouco conseguida,
Pois conseguir mais deve quem se veja
Ante um rival que há pouco se planeja
E fique desfalcado na partida;

Assim foi, e por esta tal medida
O torcedor é certo que preveja
De novo o sofrimento na peleja
Tão árdua qual será por sucedida:

Árdua e curta peleja, onde um vacilo
Ao de ontem mostrado semelhante
Pode instar sério dano de cumpri-lo

Alguém cujo ensejo é postulante
A uma ambição maior. Qualquer “cochilo”
Pode alvitrar escolhos doravante.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
03/02/2015

AFE – No árduo rumo à A1

Reveste-se por cunho de cautela
O limiar da nova temporada
Da AFE, com estréia já marcada
Para segunda feira na tabela.

Destarte, em termos nada se revela
De uma qualquer contratação inchada
Pela fama de alguém apresentada
Como apanágio de uma audácia bela:

Com promoções da base, certa escolha,
De volta o Milton Júnior, o Roberto
E alguns remanescentes por recolha,

Da direção o rumo julgo certo
Para um torneio de expressão caolha
Disputar, assimétrico e incerto.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
01/02/2015


QUEM É O ANTONIO CARNEIRO?

Esse engenheiro carioca, que vive em Portugal, e é fanático pela AFE é um exemplo de amor pelas tradições grenás já há muito tempo. Deveria servir de padrão para as novas gerações de torcedores araraquarenses, que tem outros ícones como o Paschoal e sua incrível dedicação com a história da AFE, o Luis Marcelo Cirino, o Moreira, jornalista, e outros que como eu (porque não?), morando em São Paulo insisto em manter um site sobre a AFE. Citamos claro, o Fabio José Lourenço, e o Tetê Viviani que também tem seus espaços mostrando seu amor pela sofrida Ferrinha.

Pois aqui há um acervo de sonetos, escritos em Português escorreito, ou castiço, como diriam uns poucos amantes da Língua Portuguesa. E dependendo do grau de inspiração e emoção de nosso poeta, às vezes eles vêm em Alexandrino, que é do ponto de vista técnico, o de maior apuro e qualidade literária.

Esse é o Antonio Carneiro, o Bélier (pronuncia-se Beliér) que por sua dedicação para com as coisas de nossa Ferroviária ganhou  um justo e exclusivo espaço nesse reduto de amor à causa afeana.

Recentemente criou um Blog na internet: o Poema Afeano, ou Poemas Clássicos de Afeana Gente/Bélier. 

Lá você poderá encontrar os sonetos que ele escreve para o AFEnet, assim como comentários e outros sonetos, sempre com as coisas da Ferroviária como tema. 

A Página da AFE na Europa. (http://poemafeano.blog.com/)

Poeta e Escritor, além de Engenheiro e Professor, inicia seu livro, Elvis Esotérico, publicado em 1983, dedicando "à estimada Associação Ferroviária de Esportes e à não menos Araraquara", e o termina com os seguintes dizeres:

"Sempre longe, bem longe, na distância dos olhos

mas perto, bem perto, no fundo do coração

Na vitória ou na derrota, vibrando com as tuas alegrias,

sofrendo contigo nas tristezas"


Abaixo, leia sua primeira mensagem ao AFEnet, de fevereiro de 2003, e na seqüência, todas as poesias enviadas por ele até hoje. Vale a pena conferir!


Com muito prazer o AFEnet divulga o lançamento do mais novo livro de nosso poeta afeano. 

Trata-se de 'O QUINTO EVANGELHO', lançado pela editora portuguesa Papiro, da cidade do Porto, cuja capa apresento aqui, ao lado de dedicatória que muito me lisonja.

Evidentemente, é um trabalho de muita erudição literária, como é do jaez de nosso amigo e colaborador. 

Sucesso a ele nesse projeto.

Veja a descrição da obra pelo release de imprensa reproduzido abaixo:


"Descoberto em 1945, no Egito, o evangelho segundo Tomé, escrito em língua copta, apresenta cento e catorze sentenças de Jesus, secretamente ensinadas a seus discípulos, exatamente como o foram, sem nenhuma interferência advinda de interpretações posteriores ou de sucessivas traduções.

A presente obra atende ao desafio de traduzir no verso clássico as esotéricas sentenças de Cristo, por engenho do poeta Antonio Carneiro (Bélier), sob inspiração do grande vate setubalense Manuel Maria Barbosa du Bocage, cuja obra mística é tão pouco conhecida no seu próprio país. 

Afinal, nada acontece por acaso."


AFEANO em Portugal

 

Das esquerdas margens do rio Douro, neste setentrional espaço terrestre, envio efusiva saudação de afeano jaez aos torcedores que, apesar de tudo, continuam a incentivar a gloriosa Ferroviária.

De minha parte, conquanto distante (ainda mais) do austral espaço araraquarense, continuo sofrendo (agora via internet) a cada gol que nos impõem, alguns de agremiações sem nenhuma tradição.

Que saudades do Parada, do Faustino, do Dudu, do Bazzani, do Nei, do Tales, do Téia, do Peixinho, do derradeiro time de glórias em 85 (Carrasco, Serginho Dourado, Marcão, Nenê, etc)!

Humildemente, solicito meu cadastramento entre os aficcionados da AFE, ao tempo em que envio em particular um grande abraço ao Wilson Luis, ao Olivério Bazzani Filho e a outros tantos amigos que aí deixei e nunca mais pude rever.

Rumo à série A2, que ainda é possível!

 

Antonio Carneiro (Bélier) - Canidelo 4400-130 V.N Gaia - Portugal - 6/ fev / 2003


CLIQUE PARA IR À PAGINA CORRESPONDENTE

 


voltar para o topo da página