O Cantinho do Bélier

"Poema Afeano"

SONETOS DE 2014

HISTÓRIA
O TIME
LINKS
CADASTRE-SE
O AUTOR
CAMPEONATOS
BAZZANI
OPINIÃO
CANTINHO DO BÉLIER

um pouco de cultura, amor e emoção onde o tema único é a querida ferroviária.


O CANTINHO DO BÉLIER

Antonio Carneiro

http://poemafeano.blog.com/

 

5X3 ao Kindermann
(Ferroviária, campeã brasileira de futebol feminino)


AVE! AFE! Campeã do Brasil

Desde a Arena da Fonte fez-se ouvir
De exaltação um hino harmonioso
A um grupo de meninas fabuloso,
Deixando Araraquara por servir

Como de uma nação o referir,
Tocada por seu futebol famoso
Qual dos encantos delas, cujo gozo
Esta nação, total, pode sentir.

Por sábio e hábil líder comandadas,
Que da humildade faz arma prudente,
Campeãs do Brasil assinaladas

Fizeram-se hoje, e de hoje para a frente,
Que tais conquistas são eternizadas
Nos ansis do sucesso consequente.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
30/11/2014

Até sempre, Paschoal

Ele se foi num dia assaz feliz
Pelas meninas de ouro oferecido
Ao torcedor afeano tão sofrido
Dos tempos últimos de mau cariz

Para abraçar no espaço. assim Deus quis,
As conquistas que tem por merecido,
Com a certeza do dever cumprido
Nestas plagas de rude calhariz.

De lá, na vida que ora principia
Entre os justos, com sua indumentária,
Há de olhar por quem tanto o merecia,

Que vestiu, numa exibição diária
Do grande Amor sincero que sentia
Pela sua querida Ferroviária!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
20/11/2014


3X0 ao Kindermann (SC)

Em Caçador, sulina estância e bela
Viu-se exibir com classe refinada
De histórica efeméride em jornada
Com presença indomável, mas singela

Das meninas da AFE, e sem mazela
O conjunto coeso cuja grada
E soberba expressão não deixa nada
A dever, que melhor sempre o revela:

Com dois gols a Raquel, e a Rafaela
Cuidaram de fornir a goleada
E agora é esperar, mas à cautela

Dia trinta por festa regalada
Das guerreiras grenás, campeãs em tela
Do Brasil, na Arena engalanada.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
19/11/2014

Ave! Guerreiras de ouro!

De um sufoco assaz incrementado,
Após uma batalha não pequena,
Logrou sorrir-nos a Fortuna amena
Por refletir o justo e esperado;

Aos afeanos, como é sempre dado,
Coube o sofrimento em dose plena
Como sói ocorrer, que de tal pena
Já têm eles o corpo escarmentado;

Mas compensou tão ansiosa espera
Até ao fim do prélio, e acrescido
Da cena dos penais, louca e austera:

Agora é apoiar com jus devido
Estas guerreiras de ouro à força vera
Nos dois jogos finais com grande envido.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
02/11/2014

0X1 ao Atlético (Sorocaba)
0X1 ao Independente (Limeira)


Desfecho melancólico, anelos de sempre

Desfecho melancólico apresenta
Este contexto assaz de oposição
Da AFE muito a si, que aos outros não
Para se ver do mal que a apoquenta;

Desmorona-se assim na torta senda
Mal caminhada a frágil construção
Cuja estrutura fez-se ao alto em vão
Para uma audaz, que utópica vivenda.

Gorados, tal como antes, os anelos,
Na estaca zero estamos novamente
A sonhar com cenários amplos, belos:

Um novo treinador se experimente
E assim os afetemos tão singelos
Que possamos vivê-los mais à frente.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
05/10/2014


2X3 ao Votuporanguense
(Mau começo)


Numa manhã em sítio não sereno,
Tal como é costumaz o clima imposto
Nas ínvias trilhas onde é não suposto
Mostrar aos visitantes tom ameno,

Deixou a Ferroviária justo pleno
Que extra-muros ostentava aposto
De resultados bons, e travo gosto
Experimentou neste hostil terreno:

Mau começo, destarte, nesta fase,
Segunda do torneio, que indica
Os oito finalistas apurados;

E que serve entretanto como base
Por definir o que melhor se aplica
Numa posterior competição.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
28/09/2014

1X1 ao Batatais
(Para o regulamento?)


Jogando ou não para o regulamento
Que a princípio mostrava a opção
De uma mais oportuna conjunção
Dos rivais em futuro ajustamento,

Mal exibiu-se a Ferroviária, alento
Faltou, devido, e mesmo a ambição
Por buscar na aludida exibição
Algo além de um medíocre apontamento.

É certo que já antes garantira
O apurar, de há muito antecipado,
Mas também convenhamos que não mira

Do torneio um triunfo cobiçado:
Melhor talvez seria se cumprira
Um serviço mais sério e ajustado.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
21/09/2014

0X1 ao Comercial
3X2 ao Votuporanguense
0X0 ao Botafogo (R.P.)

(Apuramento antecipado)


Num desafio menos conseguido,
O “Come-Ferro”, “derby” comentado,
Perdeu na Fonte a AFE a desagrado
De seu povo fiel e tão sofrido;

Os três pontos que ali tinha perdido
Foi buscá-los bem longe em ato ousado
Ao Votuporanguense, e contestado,
Após um duro empenho consumido:

Diante de tais números diversos,
Os três somados foram suficientes
Por garantir apuramenteo certo

Dois jogos antes dos finais que adversos
Tornam os seus ensejos contundentes
Aos corações afeanos mais, decerto.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
15/09/2014


3X0 à Santacruzense – Masculino
2X0 ao São José – Feminino
(Por resgatar o viço perdido)


Fim de semana auspicioso, é certo
Que esperemos por algo mais ditoso
De pois de um caminhar tão espinhoso
Que vimos de trilhar a céu aberto:

O masculino grupo deu decerto
Um decisivo passo e auspicioso
Rumo ao apuramento caprichoso,
Quatro rondas de avanço a descoberto;

O feminino provas outra vez
Deu de seu poderio e ascendente
Sobre os demais, com brio e altivez.

Assim suceda agora e sempre: Em frente
Siga a Ferroviária, sem talvez
Por resgatar seu viço novamente.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
31/08/2014

2X1 ao Mirassol (futebol masculino)
3X0 ao Rio Preto (futebol feminino)
2X0 ao Guarujá (Via AFE-Guariba)


(Prendas de aniversário)

De aniversário em quadra festejada,
Prendas são sempre muito apetecidas
E para Araraquara merecidas
Quando de sua data está marcada:

Foi um domingo bem desta toada
A registrar vitórias destemidas
Em Mirassol, em casa conseguidas
E inda outra por parceiro conquistada;

E assim, mesmo que com pequeno atraso,
O vinte e dois de agosto é consagrado
Por mulheres e homens afeanos.

Que seja bom augúrio e de bom azo
Faça-se deste ensejo um outro fado
Mais feliz a viver em novos anos.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
25/08/2014

1X4 ao Botafogo (RP)
4X1 ao Batatais
(Reciprocidade)


O pau que bate em Chico, diz a gente,
Também bate en Francisco, todavia;
E o tempo já passado nos confia
O viver por viver melhor à frente.

Ontem em Batatais se viu presente
Tal alvitrar por expressiva via:
A AFE devolveu nesta porfia
O placar que levou na antecedente:

Por quatro a um perdeu do Botafogo,
De quatro a um venceu o Batatais
E assim quitou seu débito sem rogo

Com saldo igual que antes tinha a mais
E a certeza de ir em desafogo
Para a segunda fase, eis ademais.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
17/08/2014


1X0 ao Votuporanguense
(“Picou-se” o Pícolo, mas venceu a AFE)


Depois que o Pícolo “picou-se”, estando
O sucessor para suprir a vaga,
Que da bancada o seu pensar divaga,
O prélio a ver, sobre o futuro, quando,

Eis que a Ferroviária no comando
Do mesmo, a bola a passes circunvaga,
Enquanto seu rival o tempo enlava
Por instar se o empate vai levando.

Os grenás, que de branco se vestiram,
Têm ataque de novo perdulário
E por tal um só golo conseguiram,

Bastante por vencer o adversário,
Mas pouco ainda para o que aspiram
Das metas a vencer em corolário.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
03/08/2014

E o Pícoli “picou-se”

O Pícoli “picou-se”, uma vez mais
A Ferroviária vê-se preterida
E o trabalho que fez fica ademais
No âmbito de página esquecida
De onde é bem provável que jamais
Qualquer palavra certa seja lida.
Até quando, meu Deus, o afeano
Verá seu clube em secundário plano?

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
02/08/2014

2X0 ao Comercial
(Conquista ardilosa)


Expressiva vitória, e bem chegada,
Esta no “Come-Ferro” conseguida,
Tradicional embate, em árdua lida
No sítio alheio ontem disputada;

Tranquila, a Ferroviária fez usada
A velha estratégia definida
Para explorar do inimigo a vida
Quando se acha em vida complicada.

Do simples como tal no certo ensejo,
De tocaia se fez, do bote incerto
A esperar o instante no cotejo;

Capaz de o aplicar a descoberto
De um incauto rival com parco almejo
A ardis de tal jaez bem pouco esperto.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
30/07/2014


1X1 à Esportiva Santacruzense
(Um passo adiante)


Um ponto é sempre saldo positivo
Quando no sítio alheio é conquistado,
Pois o rival, além do campo ao lado
Sói ter juiz e público em ativo.

Pode-se assim dizer por incentivo
De ontem o que foi amealhado,
Inda que ante um grupo pouco ousado,
Porque inda jovem, algo até passivo.

Valeu porém mais esta experiência
Numa lida de parca envergadura
Onde a mais invulgar inteligência

Indica por usá-la nesta altura
Para obter resultados na sequência
De uma equipe com sólida estrutura.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
27/07/2014

Armando Marques: Despede-se um mito
(falecido em 16/07/2014)


Foste da arbitragem referência
Qual não há desde então a esta parte
A demonstrar em campo a tua arte
Com rigor, atitude e coerência;

Em tempos de acirrada concorrência,
Sempre impuseste teu jaez, destarte
Por quase dois mil jogos desfilaste
O teu apito em sem igual frequência.

Polêmico, por vezes decisões
Tomavas, assumindo o erro à lida
Inerente em algumas ocasiões;

Hoje tu partes com missão cumprida,
Deixando na memória as impressões
Do melhor que apitar eu vi na vida.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
21/07/2014

1X0 ao Mirassol
(Prenúncio promissor)


Conquanto sem imagens enviadas,
Julgando do relato o que se ouviu,
Foi agradável jogo o que serviu
Como primeira etapa das marcadas;

Das peças novas experimentadas
Algumas bem se ajustam, já se viu
Algo por bom começo, e assim urdiu
A equipe várias certas escaladas.

O resultado, ainda que viesse
Do prélio em estertores, mereceu
A Ferroviária, se do mesmo houvesse

Um vencedor pelo que sucedeu.
Seja prenúncio então e assim soubesse
Tão bem nas lidas mais que precedeu.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
20/07/2014


Rumo a um futuro melhor
(Inicio da Copa Paulista)


E eis que se inicia a caminhada,
Mais uma a colimar o objetivo,
Inda que este torneio, de incentivo
Em si, pouco conceda, ou mesmo nada;

Mas serve por que seja iniciada
Como princípio de jaez ativo
Séria faina, trabalho objetivo
Que uma equipe componha organizada

Com um padrão de jogo definido,
Assim como se via no passado
A encantar as platéias mundo afora.

De afeanos orgulho hoje ferido
Que seja então de novo alevantado
Desta data a partir, sem mais demora.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
19/07/2014

Ave, belas, guerreiras, campeãs do Brasil!

Sois belas, sois guerreiras, doravante
Heroínas sereis de uma cidade
Que ainda se recorda com saudade
De um passado de glórias triunfante

Da sua “Associação”, posta adiante
Novamente, por vossa qualidade,
Sob orientação e habilidade
De vosso competente comandante

Que hoje a faz do meu país com brio
Lídima campeã, e legendária
Para o porvir, capaz de em poderio

Erguer do afeano a voz autoritária
Para dizer ao mundo e sem desvio:
Salve a vitoriosa Ferroviária!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
16/04/2014

0X3 ao Mirassol
(Fim de festa, outro vexame e A2 de novo em 2015)


Ao cabo de frustrante temporada,
Outra, que a nós ficou de proveitoso,
Os torcedores, com o ar queixoso
Sempre que cada qual se vê passada?

Inda esta mais, pois bem facilitada
Ante rivais de empenho duvidoso
A nos fazer defeso não gravoso
De ação por nós tão pouco aproveitada:

Resta-nos o consolo gafeirento
De não passar outro sufoco infame
Na luta contra o vil rebaixamento

E entre os dez primeiros neste exame
Passar por garantir de um jogo advento
Em casa a mais no próximo certame.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
12/04/2014


1X1 ao São Caetano
(… E a tristeza não tem fim… )


Se é certo que herdarão os pacientes
A Terra, e assim será, que já o disse
Jesus, cuja palavra quem ouvisse
Foi testemunha da Verdade, assentes

Sobre tais bens terrenos consequentes
Sem dúvida estarão sem trafulhice
Da AFE os torcedores, de quem visse
Tamanhos conformismos condizentes;

Pois que ano a ano de azo rotineiro
Sua esperança esvai-se , o sofrimento
Impõe-se como alvitre costumeiro

E o rebaixamento a complemento
De um triste destino é companheiro
Deste perene e lúgubre tormento.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
06/04/2014

0X1 ao Red Bull
(Adiós, pampa mia)


O Red Bull das latinhas abonado
Por multi nacional, como é sabido,
Foi de ontem o rival a ser vencido
Em sítio seu, ainda que emprestado;

E fez valer favoritismo instado
Ante o esforço menos sucedido
Do grupo afeano, já bem convencido
De estar do acesso em vista erradicado:

Bem pouco fez; por justo o necessário
A fim de assim lograr com esta etapa
O que buscava neste itinerário;

Enquanto a AFE não de novo escapa
De ver-se rebaixada em seu calvário
De sombras, onde há anos se acaçapa.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
30/03/2014

1X2 à Itapirense
(Decepcionante)


Medíocre, eis como pode ser cotada
Da Ferroviária a triste prestação
Na toca de um “coelho” cuja ação
Estava desde antes limitada;

Que deixa assim assaz condicionada
De doravante a sua promoção
Dos grandes para o ínclito escalão
De onde está há anos afastada:

Mais um que ressuscita das geenas
Aonde estava inteiro mergulhado
A nossa equipe, de intenções amenas

Para quem jaz em moribundo estado.
E agora há que vencer as duras penas
Que advirão, se quiser mudar seu fado.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
27/03/2014


2X1 ao Grêmio Osasco
(A garra vingada)


Depois de uma batalha encarniçada,
Onde a garra vingou mais que o talento
Dos atletas grenás de cujo alento
Ela emergiu por se fazer instada,

A vitória final foi alcançada
No derradeiro sexto deste evento
Que estava a se tornar cruel tormento
Para a claque afeana angustiada.

Mantém-se assim a expectativa ingente
De chegada na reta do torneio
Entre os quatro que a cruzarão na frente;

Até lá quatro embates de permeio,
Um grande sofrimento nunca ausente,
Mas também muita fé por firme esteio.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia - Portugal 
23/03/2014

1X0 ao Grêmio (Barueri)
(À tangente)

Importante vitória, que à tangente,
Logrou ontem na Fonte a Ferroviária,
Inda que se instasse perdulária,
Não sendo de outras vezes diferente;

Ante um rival bem pouco consistente
Que mostrou condição deficitária,
Fez a lição apenas necessária
E isto é de fato o justo e suficiente

Para manter-se em acirrada luta
Visando apuramento tido em vista
Nesta intrínseca e sôfrega disputa.

Faltam cinco barreiras à conquista
Que pode resgatar desta labuta
De um passado glorioso alma revista.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.gaia – Portugal
20/03/2014

2X0 ao Rio Branco
(Esperança viva)


Ao Rio Branco de Americana
Viu-se a Ferroviária hoje em frente,
Nos pagos do rival em tarde quente
De estio que se esvai numa semana,

E em tal etapa dessa luta insana
Que este torneio impõe, impenitente,
Saiu-se bem, mostrando cabalmente
Ser melhor do que a turma transtagana.

Mantém, destarte, viva a esperança
Do acesso à divisão primeira, ainda
Que lhe não seja tal tarefa mansa

E o torcedor sofrido, este não finda
De crer que ela ao final do mesmo alcança
Um lugar de onde para lá se guinda.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
16/03/2014


0X0 ao São José
(Manhã de contexto tenebroso)


Foi mau demais, pior por ser verdade,
Desta partida o triste resultado
Que nossas esperanças põe de lado,
Salvo ocorrências de ultra raridade:

Não há como extrair desta igualdade
Qualquer plena razão de arrazoado
Capaz de esclarecer com justo dado
A quem queira apurar-lhe a validade;

Bolas aos postes, pontapés de canto
Às dezenas, goleiro milagroso
Do rival, pouco serve, ou nada tanto

A explicar que o lanterna desairoso
Veio roubar-nos pontos no recanto
Em manhã de contexto tenebroso.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
08/3/2014

5X0 ao Guaratinguetá
(Uma lufada promissora)


De carnaval num sábado é jogado
Um desafio em que jamais pudera
Pensar em perder pontos se quisera
Manter a AFE algo pleiteado;

E assim firmou-se atrás do resultado
Ante um rival que pouco lhe impusera
De início ao fim de um prélio onde soubera
Opor-se com rigor adelgaçado.

Demonstra-se outra vez, é evidente
Que esta equipe afeana vale mais
Do que os pontos que obteve: Para a frente

Que sirva esta lufada, e seus sinais,
Por referência, como antecedentes
De outras afirmações a esta iguais.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
01/03/2014

0X0 ao São Bento
(A diferença)


Em Sorocaba viu-se a diferença
Entre uma “baita” equipe colocada
À frente da tabela e outra dada
A lugares de bem menor avença:

Aquela, de seu povo na presença,
Por esta foi de todo dominada,
Que só não a venceu de goleada
Por perder golos de maneira intensa;

E assim não marca os pontos novamente
A AFE, todos quanto merecia,
Enquanto o pelotão que vai à frente

A somá-los porém, se distancia,
Tornando esta missão, infelizmente,
Mais árdua e penosa a cada dia.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
27/02/2014


1X1 ao Marília
(Disparate ou mistério?)


Do treinador após despedimento
Sem uma convincente explicação,
Que é competente, por jaez senão
De um disparate ou escondido evento,

Voltou a AFE a pagos seus no intento
De os três pontos lograr de obrigação,
Mas mostrou tal desorientação
Que não lhe soube um empate tão cruento.

Já o acesso é quase uma miragem,
Que a meio já vamos da disputa
E de outros não cessa da contagem

O suceder de pontos para a luta
Que é renhida, feroz e não dá margem
A cenas como a desta vã permuta.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
22/02/2014

1X2 ao Guarani
(Novo tropeço – Na mesma pedra)


Em noite de Bragança acalentada,
A terra da linguiça, como é tida,
Viu-se a AFE de novo ser batida
Com pífia ação individualizada:

Em dois lances banais, eis que a parada
Ficou na prima etapa definida,
Que não era assim tão descaída
Para o seu lado nesta empreitada.

Mais três pontos se vão para a algibeira
De um rival de bons tempos enfrentado
Em passado de história alvissareira;

E o tombo consequente, acelerado
Para um lugar mais próximo à rabeira
Que o do último a ser bem apurado.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia _ Portugal
20/02/2014

1X1 ao Batatais
(Tropeço imprevisto)

 

Com a equipe desestruturada

Por obra do iníquo apitador

Que a desfez no jogo anterior

Com sua arbitragem desastrada,

 

A Ferroviária pouco fez, ou nada

Na prima parte, e sem qualquer louvor

Voltou assim atrás no marcador

Na segunda, e assaz modificada:

 

Mudou deveras, seu rival moeu,

Que o tempo todo viu-se encurralado,

Mas a Fortuna a não favoreceu

 

E o árbitro também, pelo seu lado,

Ao grupo forasteiro concedeu

Vantagens do anti-jogo praticado.

 

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia (Portugal)
15/02/2014


0X1 ao Velo Clube
(De um louco varrido a um frangueiro inveterado)


De incompetente apito e abominável
Um desafio é estragado e assim
Deixa de ver-se o que pareça ao fim
Com futebol de algo apresentável,

Que é decidido em pífia deplorável
De nosso “guarda redes”, outrossim,
Uma a mais, entre tantas, tantas sim,
Inda que alguns o achem confiável:

Dessas lambanças mil em consequência,
Ficamos sem equipe principal
Para o jogo que vem logo à sequência;

Deixamos lá três pontos, ao final
Em Rio Claro, e nesta concorrência,
Pior, pois são somados ao rival.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
13/02/2014

5X1 ao Santo André
(Exuberante! Para lavar a alma!)
… E o Ramalhão virou ramalhinho…


Exibição de gala em sítio alheio
Que nos fez recordar tempos distantes
Quando os anfitriões pensavam antes
De jogar, que um empate era bom veio.

As imagens não vimos, pois o meio
De as enviar falhou, mas outras dantes
De ver gostamos: Nossos atuantes
Estão a mostrar conjunto com esteio:

Dois jogos nós perdemos no apito
De iníquos juízes no caminho
De terra estranha, a medo de um conflito;

Mas hoje não vingou o burburinho:
Maior valor calou da gente o grito
E o Ramalhão tornou-se um “ramalhinho”.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
08/02/2014

3X0 ao Grêmio Catanduvense
(Ameaça só do temporal)


Em noite de mil raios afrontada
Intensa, que fugaz, e forte chuva,
Enfrentamos o frágil Catanduva,
Do meio adverso em lida fracionada;

Tarefa fácil, tal é complicada
Do rival, que caiu como uma luva,
A crise em que bem se coadjuva
Uma chance de erguer a fronte arcada.

Inda assim, esbarramos nos defeitos
Do próprio alvitre, que há por corrigir
Se aspirarmos a mais altos feitos;

E para tanto, urge competir
Com a maior certeza nos proveitos
De que a nossa conduta há de advir.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
06/02/2014


1X2 ao Atlético Monte Azul
(Inacreditável!)


Há coisas que o demônio arquiteta
E que até Deus permite por testar
A santa paciência onde vai dar
De um mortal que a vil ação abjeta.

Em Monte Azul se viu uma tal meta
Hoje à Ferroviária se aplicar
E ao pobre adepto seu que, de bufar
A sua, bufou toda por completa:

Perdeu a AFE hoje novamente,
Após o jogo todo haver vencido
O rival que do jogo fez-se ausente!

Como? Dirá quem isto tenha lido:
Argua alguém não raro incompetente
E outro que, além disso, é um bandido.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
02/02/2014

0X2 ao Barbarense
(Nova vitória do anti jogo – Outro funeral do futebol)


Abominável noite, incompatível
Com qualquer lógica que se esperasse
Por consequência de algo que julgasse
Alguém com senso ao menos exequível:

Venceu o anti jogo assaz plausível
Em sítios onde não se impusesse
Um biltre apitador e assim quizesse
Uma feroz platéia e explosível;

Perdeu o futebol: Mais uma vez
A verdade esportiva fez-se ausente
E assim muito será de bem soez

Neste torneio ingrato, infelizmente.
Havemos de vencer a sordidez
Também, para vencer, eis, claramente!

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
30/01/2014

2X0 ao Capivariano
(Orientação de bom siso)


Bem postada a equipe no relvado,
Com cada qual cumprindo o seu papel,
Sem estrelas luzentes no plantel,
Mas com certo conjunto organizado,

Soube a AFE hoje ter ultrapassado
O primeiro embaraço do cartel
Que se há de ampliar muito a granel,
Consoante o torneio for jogado.

É prematuro, sim, fazer juízo
Quando ainda no adro vai o andor,
Inda menos grafar qualquer aviso;

Mas parece já claro ao torcedor
Que finalmente temos de bom siso
A orientação de um treinador.

Antonio Carneiro (Bélier)
V.N.Gaia – Portugal
25/01/2014


A profecia

 

Eis que se inicia o sofrimento

Mais curto inda talvez, porém maior

Porque em menos tempo é bem pior

Sofrer, que é mais intenso um breve evento,

 

Mas uma profecia dá alento

Aos afeanos de um porvir melhor,

Grafada de evos pelo derredor

Em letras colossais do firmamento:

 

A Ferroviária irá ser promovida

À divisão primeira quando, enfim

Vilson Tadei tomá-la dirigida

 

E há de revivê-los, outrossim,

Os dias em que impôs-se, destemida,

Tal como lá se impôs, assim.

 

Antonio Carneiro (Bélier)

V.N.Gaia – Portugal

24/01/2014

A profecia

 

Inicia-se neste próximo sábado (25/01/2014) o desesperado torneio que vai de novo reunir vinte agremiações do interior de São Paulo, primeiro em busca de um acesso à dita elite, ainda que já tanto desprestigiada diante de tantas séries de campeonatos distribuídos pelo país, de norte a sul, em arrabaldes onde sequer o Judas andou, quanto mais as suas botas perdidas. 

Tudo isto como fruto de uma política vergonhosa que depalpera as forças de clubes tradicionais, que já engrandeceram – e de que maneira – o futebol brasileiro. Torneio ainda mais esvaziado, em turno único, sem fase final, com resultados diretos para os apurados à A1 e os despromovidos à A3. Uma autêntica “briga de foice no escuro”. 

E os corações afeanos, como diz o Wilson Luiz (com z) vão sofrer muito mais porque bem maior será a responsabilidade de cada jogo. 

Paciência, há que superar as injustas vicissitudes, seguindo o único caminho que leve a uma posição de relativo destaque nos cenários paulista e nacional. 

Neste contexto, desde há muitos anos a esta parte, vimos aqui, juntamente com outros adeptos afeanos, a defender a perspectiva de contratação do experiente treinador Vilson Tadei, que por várias vezes, ao comando de adversários nossos, vimos impor estratégias inteligentes, que os treinadores da Ferroviária nessas citadas ocasiões não conseguiram neutralizar. 

Ademais, sempre reconhecemos neste profissional excelentes virtudes essenciais ao técnico encarregado de treinar uma equipe de futebol.

Mas eis que sempre que o seu nome era apontado como o mais provável candidato ao cargo, lá vinha um outro, que acabava por não corresponder à expectativa e o torcedor ficava frustrado.

Após dezoito anos de rebaixamento, eis porém que, conquanto por linhas tortas – não fora ele o contratado, mas outro, que não honrou sua palavra para com os grenás e baldou-se por melhores compensações – o homem foi finalmente contratado. 

E como é por linhas tortas que Deus escreve certo, a profecia se anuncia, ela que já pelas eras pretéritas se escrevera nos etéreos tabernáculos do firmamento: “Será pelas mãos de Vilson Tadei que a Ferroviária irá subir à primeira divisão!”

Há um dito popular que reza: “Quem viver, verá.” Todavia, nós que sabemos bem que a vida não finda, senão a do corpo que nos move no espaço físico do mundo, somos mais abrangentes: “Todos verão.” 

E haverá grande alegria nos reinos físicos e parafísicos, alentados de tons grenás, entre todos aqueles que amam a Ferroviária. Citar alguns seria injusto para tantos e tantos, presentes fisicamente ou não.

 

Antonio Carneiro (Bélier)

V.N.Gaia – Portugal

24/01/2014


QUEM É O ANTONIO CARNEIRO?

Esse engenheiro carioca, que vive em Portugal, e é fanático pela AFE é um exemplo de amor pelas tradições grenás já há muito tempo. Deveria servir de padrão para as novas gerações de torcedores araraquarenses, que tem outros ícones como o Paschoal e sua incrível dedicação com a história da AFE, o Luis Marcelo Cirino, o Moreira, jornalista, e outros que como eu (porque não?), morando em São Paulo insisto em manter um site sobre a AFE. Citamos claro, o Fabio José Lourenço, e o Tetê Viviani que também tem seus espaços mostrando seu amor pela sofrida Ferrinha.

Pois aqui há um acervo de sonetos, escritos em Português escorreito, ou castiço, como diriam uns poucos amantes da Língua Portuguesa. E dependendo do grau de inspiração e emoção de nosso poeta, às vezes eles vêm em Alexandrino, que é do ponto de vista técnico, o de maior apuro e qualidade literária.

Esse é o Antonio Carneiro, o Bélier (pronuncia-se Beliér) que por sua dedicação para com as coisas de nossa Ferroviária ganhou  um justo e exclusivo espaço nesse reduto de amor à causa afeana.

Recentemente criou um Blog na internet: o Poema Afeano, ou Poemas Clássicos de Afeana Gente/Bélier. 

Lá você poderá encontrar os sonetos que ele escreve para o AFEnet, assim como comentários e outros sonetos, sempre com as coisas da Ferroviária como tema. 

A Página da AFE na Europa. (http://poemafeano.blog.com/)

Poeta e Escritor, além de Engenheiro e Professor, inicia seu livro, Elvis Esotérico, publicado em 1983, dedicando "à estimada Associação Ferroviária de Esportes e à não menos Araraquara", e o termina com os seguintes dizeres:

"Sempre longe, bem longe, na distância dos olhos

mas perto, bem perto, no fundo do coração

Na vitória ou na derrota, vibrando com as tuas alegrias,

sofrendo contigo nas tristezas"


Abaixo, leia sua primeira mensagem ao AFEnet, de fevereiro de 2003, e na seqüência, todas as poesias enviadas por ele até hoje. Vale a pena conferir!


Com muito prazer o AFEnet divulga o lançamento do mais novo livro de nosso poeta afeano. 

Trata-se de 'O QUINTO EVANGELHO', lançado pela editora portuguesa Papiro, da cidade do Porto, cuja capa apresento aqui, ao lado de dedicatória que muito me lisonja.

Evidentemente, é um trabalho de muita erudição literária, como é do jaez de nosso amigo e colaborador. 

Sucesso a ele nesse projeto.

Veja a descrição da obra pelo release de imprensa reproduzido abaixo:


"Descoberto em 1945, no Egito, o evangelho segundo Tomé, escrito em língua copta, apresenta cento e catorze sentenças de Jesus, secretamente ensinadas a seus discípulos, exatamente como o foram, sem nenhuma interferência advinda de interpretações posteriores ou de sucessivas traduções.

A presente obra atende ao desafio de traduzir no verso clássico as esotéricas sentenças de Cristo, por engenho do poeta Antonio Carneiro (Bélier), sob inspiração do grande vate setubalense Manuel Maria Barbosa du Bocage, cuja obra mística é tão pouco conhecida no seu próprio país. 

Afinal, nada acontece por acaso."


AFEANO em Portugal

 

Das esquerdas margens do rio Douro, neste setentrional espaço terrestre, envio efusiva saudação de afeano jaez aos torcedores que, apesar de tudo, continuam a incentivar a gloriosa Ferroviária.

De minha parte, conquanto distante (ainda mais) do austral espaço araraquarense, continuo sofrendo (agora via internet) a cada gol que nos impõem, alguns de agremiações sem nenhuma tradição.

Que saudades do Parada, do Faustino, do Dudu, do Bazzani, do Nei, do Tales, do Téia, do Peixinho, do derradeiro time de glórias em 85 (Carrasco, Serginho Dourado, Marcão, Nenê, etc)!

Humildemente, solicito meu cadastramento entre os aficcionados da AFE, ao tempo em que envio em particular um grande abraço ao Wilson Luis, ao Olivério Bazzani Filho e a outros tantos amigos que aí deixei e nunca mais pude rever.

Rumo à série A2, que ainda é possível!

 

Antonio Carneiro (Bélier) - Canidelo 4400-130 V.N Gaia - Portugal - 6/ fev / 2003


CLIQUE PARA IR À PAGINA CORRESPONDENTE


voltar para o topo da página